quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

O Nabo? (sou eu!)

Já me acusaram de querer adivinhar o que as mulheres pensam, apenas um completo idiota procuraria tal façanha, é impossível, e não unicamente com as mulheres mas também com "alguns" homens, claro que aquando deixo ao vosso alcance todos estes meus desabafos, permito-vos um traçar daquilo que reside dentro de mim, mas não estou de forma alguma a passar-vos a receita completa, sinto muito, mas essa é a grande verdade, algumas memórias são demasiado pessoais para partilhar convosco, e talvez um dia as entregue a alguém com quem eu me sinta suficientemente confortável, alguém que rasgue esse envelope selado por mim, não acho que o público em geral deva aceder ao meu cofre fechado a sete chaves, somos todos diferentes, percorremos trilhos diferentes mas deparamo-nos com problemas similares, e essa é a melhor forma que acabamos por encontrar para nos identificarmos uns com os outros, basta que se oiça o que a outra pessoa têm para dizer, por palavras, gestos, respirar, linguagem corporal, não interessa….ouvir, tomar atenção!

(E mais uma vez, também eu devo tomar mais atenção aquilo que me é "dito")

5 comentários:

Paulo disse...

Desde pequeno que aquelas placas me fascinaram.

Anos mais tarde percebo porque

PARA
ESCUTA
OLHA

numa fracção de segundo somos completamente trucidados

Sayuri disse...

acho que são aspectos importantes que surgem com a maturidade...

Maria Joao disse...

mas às vezes o julgamento é superior a nós, não é?

Canto Definido disse...

Paulo: Também nós nos sentamos de tempos a tempos no lugar do agressor, mas saímos logo preparados de corda ao pescoço, estamos a escolher o nosso próprio destino, karma is A mother#####r!!!

Sayuri ;) é esse o verdadeiro conforto que sinto, quando olho para alguém que passou por tudo isto, e vejo que, eventualmente tudo ficará bem, o segredo é sempre dar mais, quando menos esperamos somos gratificados com tudo o que sempre deseja-mos.

MJ (Já falta pouco não é, um abraço :) Podemos seguir algumas regras, ou inventar umas novas, somos uns seres muito virados para o caos absoluto, sempre tive pouca fé em nós humanos como espécie, mas basta olhar com atenção, quando estamos mesmo mal é que sentimos ou não o verdadeiro apoio, as amizades reais, e isso é o que importa :)

DANTE disse...

Dar e receber meu caro...

Um abraço