quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Lanço-me

Definido mas desdobrado está o Canto, desprotegido e livre de preocupações passadas, permite uma leitura rápida, completou os requisitos, afastou os cortinados e olha pela janela para o exterior, queima o pavio de todas as dúvidas que se apoderavam de cada uma das suas faces, viradas para si, unidas mas desencontradas, expulsou os desperdícios, foram desconsiderados todos os relógios parados no tempo, leva consigo quem o ouve e salta cá para fora, cai na areia de pés bem juntinhos e segue o percurso traçado, o novo mapa para a felicidade, a tentativa sem o erro...

7 comentários:

Canto Definido disse...

Lenine, É o que Me interessa

Daqui desse momento
Do meu olhar pra fora
O mundo é só miragem
A sombra do futuro
A sobra do passado
A sombra é uma paisagem
Quem vai virar o jogo e transformar a perda
Em nossa recompensa
Quando eu olhar pro lado
Eu quero estar cercado só de quem me interessa
...


;)

Anónimo disse...

consegues ir mais longe do que eu - eu não consigo evitar a sensação do erro, vai que não vai, mas depois mais à frente descubro que não era erro ou assim parece, e também houve um gajo porreiro chamado Bento de Jesus Caraça, matemático muito bom, que disse: eu não tenho medo do erro porque o erro pode sempre corrigir-se,

tu és um bom poeta

Anónimo disse...

agora é engraçado porque a tudo o que é mesmo importante se chega, força da paixão, ficou escrito em traços de lava,

é

Sayuri disse...

Acho que este é o teu texto mais positivista de sempre...e fica-te BEM! :)
Go on!

Sanxeri disse...

Tentativa sem erro? Duvido. :)

Escreves mesmo bem.

DANTE disse...

Tentar sem nunca errar? Utópico pah. Mas tenta! ;D

Um abraço

Astrid disse...

...há dias em que o erro é de uma precisão absoluta... e há dias em que não existe aquela velha viciosa obrigação de dar uma explicação a tudo... há dias em que a tarefa de ler mapas mentais é tão pavorosa, quanto beber tua seiva - quando ela já vem empregnada do hábito (o velho hábito)... mas, no balanço das horas tudo parece mudar... só o que está morto não muda... aconchego... "just a listening man
try to understand, just a listening man, doing the best I can"...
bejos, flores e estrelas *** ;)