domingo, 11 de janeiro de 2009

Aperto

Excluo-te, desgostoso e intoxicado,
Obtenho um sabor amargo dos teus lábios,
Não mais estás presente, rejeito-te,
Procuro que te afastes, que não mais te faças sentir,
Não por estes lados, não de encontro a mim,
Trocaste-me as voltas, retiro-te esse direito.

Completavas-me, eras o meu todo,
Mesmo que considerado desviante, foi-me permitido,
Esse amor, agora destituído do seu cargo,
Composto pela falta de animosidade, pela ausência,
Pela ruptura de todos os meios, devorado,
Tal como nos fora indicado, tal como fora imposto.

2 comentários:

Sayuri disse...

Um ponto final permite sempre escrever um novo parágrafo :)

Anónimo disse...

fudido,

z