sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

(ensaio n.º 3)

Aguardo ansiosamente o seu despertar, faço punho e estico a pele da palma da outra mão, formo um pequeno vazio entre os dedos, e o sopro que o atravessa é consumido de imediato pelo frio fora deste resguardo, por vezes não me reconheço e tento compreender o porquê, não é intencional da parte dela eu sei, mas enquanto me faz esperar, mal me consigo conter, o recolher de pálpebras compassado revela por fim aqueles maravilhosos portais, o espelhar que reflecte todo o meu desejo, desprende os seus lábios dizendo “o que foi”, liberta aquele magnifico sorriso cativo, e eu digo-lhe “amo-te”.

3 comentários:

XS disse...

Aprovo este ensaio. POdes torná-lo público. Ela vai adorar!

Francesa disse...

Esperar por alguém que gostamos é uma felicidade antecipada:)Ainda há pc, esperei pelo meu irmao no aeroporto...

LiliS disse...

Uma descoberta agradável...
sem dúvida blogger...
beijos grandes