sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

O Colorir

Não te sintas atrapalhada, não pelas minhas palavras,
O que gosto, bem... é mesmo de uma boa tradução,
Mas não daquelas fáceis, e sim das que demoram o seu tempo,
E a espera corrobora o sobressalto que tanto anseio,

De obtenção demorada, mas refinada e amena,
Encontraste-me e não mais me deixaste de ouvir,

Quando procurávamos ambos um novo cenário,
Usaste os teus descritivos imaginários,
Entregaste-me a tua opinião, e eu aceitei-a sem hesitações,
Mostraste o que te motiva, e os teus quereres,

Acredita que te trago boas noticias,
Mostras favoráveis e um substituir dessa tua magoa passada,
Onde te possa estender o meu braço, e tu o teu a mim.

6 comentários:

Anónimo disse...

bonito, pá: "Onde te possa estender o meu braço, e tu o teu a mim"

Astrid disse...

..."He had white horses,
and ladies by the score
all dressed in satin,
and waiting by the door
ooh, what a lucky man he was,
ooh, what a lucky man he was"...

beijos, flores e estrelas *** (¿y de qué te sirve poseer las estrellas?) ;)

Sanxeri disse...

Tão lindo... :) Há gente com dom natural para escrever bem. Parabéns.

Sayuri disse...

Que inspiração tão bonita! Quase me atrevo a afirmar que o amor está no ar :)

Astrid disse...

♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥ "love, love, love, love, love, love, love, love, love.
there's nothing you can do that can't be done,
nothing you can sing that can't be sung,
nothing you can say but you can learn how to play the game
It's easy".... maybe... maybe not ;)

Anónimo disse...

portanto estás quentinho: chega-me :)