quinta-feira, 7 de maio de 2009

multiple layers of glass

Pressupõe-se que a opinião partilhada entre muitos seja suficiente para estabelecer "A" verdade, é assim que funciona na maior parte das vezes, não é no entanto estranho que se voltem a reunir as partes e que se façam contabilizações cíclicas de votos para que sejam determinadas novas leis a aprovar, validar e aplicar, temos exemplos por todos os lados, desde a exclusão no mercado de alguns sub-produtos que não obedecem a determinados critérios, à criação de grupos de indivíduos que respeitam listas de regras adequadas a um qualquer objectivo considerado correcto naquele momento...

Partindo dos exemplos anteriores, os blogs que escrevemos são: Por vezes desacelerados, repetitivos ou em sonso, existem os de mainstream e os outcasts, os de mainstream aprendem os truques desde cedo, praticam as suas cábulas e fixam-se na mesma receita diária, abastecem o ego e alimentam o povo, não vejo isso como problema pois para além de podermos aprender com as vivências dos outros (e por incrível que pareça existem sempre pessoas com vidas mais interessantes que as nossas), sentimo-nos quase que forçados a darmos andança à nossa própria existência, vamos tomando um gostinho especial pelos exemplos dos big brothers mais populares e acreditamos também ter direito à nossa própria dose de imediatismo, depois existem os outcasts, as estranhices que fogem à norma e pendem em direcção contrária à do vento, transcrevem os seus pensamentos mesmo que não ganhem significado algum nas mãos dos seus leitores, sem explicações ou alterações a gosto do freguês, sem timetables ou represálias por parte dos comentadores, digamos que sem invejosos presentes :), são poucos mas bons, e são estes que escrevem os textos mais belos, trajam-se a eles próprios, são os alfaiates, os artesãos que cumprem unicamente a necessidade de continuarem porque querem, eu cá sento-me no sofá dos segundos, mas com as pernas de fora, não vá surgir oportunidade de me tornar conhecido internacionalmente :), o que quero dizer com tudo isto é que por vezes nos esforçamos tanto tanto, e acabamos encarcerados na rotina que nos é desenhada pelos outros, somos de fácil inserção em certos tipos de grupos, existe individualismo mas somos tendencialmente muito parecidos, diria mesmo: sincronizados...

(test tubes)

6 comentários:

Sanxeri disse...

Detesto a sensaçao de fazer parte da manada. Nao gosto de sentir que os meus passos sao previsiveis e sincronizados.

pepita chocolate disse...

Acho que cada um é como é...pode é haver gente que escreve futilidades e gente que escreve outras coisas! Eu devo escrever um pouco das duas...tem dias! mas tento escrever diferente de outros, não sei é se consigo!

beijoca!

Sayuri disse...

Canto Definido, disseste muito, e disseste bem! :)

Canto Definido disse...

Uma grande caldeirada de feitios, com (des)amor, risadas, poesia e ficção à mistura, desastres emocionais e muita luta pela vida... é isso que gosto de ler, quando significa algo para a pessoa que escreve não deve ser considerado fútil... eu posso não gostar, mas não insulto nem costumo entrar em modo de perseguição, leio tudo o que me vai aparecendo pela frente mas acabo por tomar mais atenção a certos tipos de escrita ;)

Teresa Queiroz disse...

a liberdade de expressão ... é essencial , os blogs funcionam como uma motra daquilo que somos ou sentimos, gostamos que olhem para dentro de nós , que nos digam o que achem ...ou simplesmente que ão digam nada .. existe de tudo tens razão..tenho adado por aí a ver ...a ler a comentar e a não comentar, somos livres disso mesmo de ver ler ou não ler ...comentar ou não .... a identificação é um processo natural... sigo muitos blogs , de temas formatos e ideias diferentes ...vou seguindo até me dizerem alguma coisa, até gostar de ler , até acabarem de ter qualquer coisa para me dizer...nessa altura já não olho mais para essa montra ...:)

um beijinho
e obrigada pelas tuasvisitas e comentários ...que gosto de ler .)

Mag disse...

Epá gostei muito deste post! :)