terça-feira, 5 de maio de 2009

B1 field (fubar)

(Acerca do movimento elíptico desferido pelo garfo preso entre dedos da mão esquerda)

À primeira vista parece deslocar-se em direcção à boca, contava com que fosse assim, mas falha-me a pontaria vezes sem conta, não creio que sejam espasmos ou desvios temporários causados involuntariamente, mas também não sou eu que controlo a trajectória, de todo, aliás…não faço ideia se nalguma das vezes chegará ao destino pretendido, percorro a sala cabisbaixo e sinto que todos fixam o seu olhar nestas torções e escapadelas dadas pelos músculos do meu braço, enervo-me cada vez mais e quase que mastigo mais aço que arroz, as risadas escondidas por debaixo das bocas cerradas sufocam-me até que se tornam infinitamente insuportáveis, chega!!!!, estou prestes a arremessar o prato contra a parede, o meu sangue concentra-se todo em torno das bochechas, pareço ter dois stops luminosos em cada lado da cara! É agora que me vejo obrigado a fugir dali, sem duvida! Logo compro qualquer coisa para comer quando puder, se ao menos descobrisse um modo para que nem notassem a minha saída!!! Uma forma bem dissimulada para quebrar o alarme para incêndios!!! Uma simulação eficaz e afugentava toda a vizinhança com a ajuda dos aspersores, os colarinhos brancos piravam-se num fechar de olhos...

(depth of field)

1 comentário:

Teresa Queiroz disse...

corar ... é sinal de tanta coisa boa!!