quinta-feira, 9 de abril de 2009

Confetis

Conforto não é Amor, é o trilho de mágoas que seguimos inadvertidamente, deixamo-nos iludir, enganamo-mos irremediavelmente, de suporte frágil através do qual desconsideramos cada indicio irreversível, cada indicador de espiral invertida subsequente, da espera vagarosa até uma fase seguinte, esquecemo-nos que da ascensão nascem novas dificuldades, quase sempre antepomo-nos à razão, contemplamos as nossas inaptidões e a falta de bom senso incorrigível, cada qual reage como pode.

Sinto sem o demonstrar,
Demonstro sem o sentir,
Amo quem não me Ama,
Não consigo Amar quem me consegue Amar,
Aguardo...

Mas aguardo enquanto me movimento.

(talvez mude de direcção daqui a 2 ou 3 segundos, talvez atravesse aquela seara de trigo, poderá aparecer um desvio, não sei bem...)

3 comentários:

Anónimo disse...

bem, és tão existencial que não sei o que dizer. Vai treinando amar sem apego, é o único caminho fiável e, se pensares três vezes, o único que faz sentido. De resto vamos todos aos tropeços,

Mas eu vinha cá era pôr

isto :)

Canto Definido disse...

No tecto da sala está uma falha na pintura, é a melhor parte, não gosto dos azulejos, da mesa de centro, etc...até dispensava a mobília toda.

Gosto daquela mancha pois dá-me que pensar.

Obrigado pelo comentário acompanhado de mais um vídeo delicioso Anónimo :)

Anónimo disse...

imagino que já tenhas visto os outros mas não resisto a deixar aqui mais um, afinal foi contigo que aprendi a fazer âncoras,

pois eu também: estou a vender a casa e até a mobília deixo ficar, largo a pele por inteiro e logo se vê