domingo, 16 de janeiro de 2011

(ensaio n.º 8)

Sujeito-lhe o cabelo entumecido embaraçado e húmido, abraço-a acostumando-me ao seu corpo, deslizo-lhe a língua pelo seu recheio coberto de batom, sopro-lhe cálido e adocico-lhe o embaciado colorido dos seus espectros, desabotoam-se-lhe os lábios e saboreamo-nos destituídos de qualquer propósito, regemos esta propensão narcótica suspensos e reconfortados pela atmosfera premente, mastigo-lhe as vogais a cada fresco abocanhado...as que se libertam trepam-nos os lóbulos e soletram u-h-m-m-m-m combustando de seguida.

3 comentários:

Astrid disse...

talvez ao som disso: http://www.goear.com/listen/7a7951a/why-donacutet-you-do-right-jessica-rabbit
;)

Structurally Diffuse disse...

Não...talvez fosse mais ao som desta.

Maria disse...

Gosto tanto dessa música SD...
Há uma música que me deixa sempre com vontade de ser embalada.É verdade.Eu,Maria,confesso...
http://www.youtube.com/watch?v=V8hzE6qtlxs